"Domine Deus Omnipotens em Cuius Manu Omnis Victoria Consis"

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

"Sobrevivencia"

"Quando escolhemos casar, devemos pensar como se ouvesse uma guerra.
Deve escolher alguem para ficar na trincheira com você.
Confiar-lhe a vida.
Protejer a vida dessa pessoa como se fosse a sua.
Devemos escolher com cuidado.
Caso contrario estaremos dividindo a trincheiro com o inimigo"

4 comentários:

Deusa disse...

E isso mesmo, e pra te dizer a verdade eu estou em uma situaçao parecida. Nao sei se topo ir pra guerra ou nao, geralmente falam q mulher parte pra cima afim de casar mas comigo ta diferente e olha q amo aquele homem.

Bjos adorei isso aqui

Dog disse...

ai... complicado.


Sabe... casar é uma coisa muito séria. Pelo menos eu penso assim. Sou das antigas mesmo. Acho que para você chegar a casar com uma pessoa, essa pessoa tem que ser "a especial". Aquela com quem você realmente vê as cores do mundo.


Te que ser por amor mesmo.
Senão... o prazer passa logo e você começa começa a entrar numa guerra silênciosa. Muitas... vivem uma vida que não desejam por toda a vida.


Enfim... é tão simples evitar uma vida ruim, simplesmente não se precipitando ou casando por interesses diversos.



Beijos Moni!!!

Pinto disse...

Passei por aqui e gostei muito do teu blog...

Vou seguir e vou ser um leitor diário.

Beijinhos

Bianca De Vit disse...

Nunca tinha pensado assim... Mas faz sentido. Nem todos estão preparados para a guerra, mas, quando a gente se dá conta, já está nela. Nesses casos, o melhor é ser capaz de confiar a vida a quem está ao lado... e vice-versa!

Beijos, Moni!