"Domine Deus Omnipotens em Cuius Manu Omnis Victoria Consis"

segunda-feira, 17 de maio de 2010

o que é ?

Do que penso, não sei
Do sinto, acho que errei
Do que falei, o vento levou
Do que restou, sera que restou?

Era garoa
Era uma brisa
De olhos abertos, vejo que é tempestade
Onde cada gota d'agua é unica
O que é?
Brisa, garoa, tempestade
Sei que esta dentro de mim
So não sei o que é

Pedaços soltos
Desmazelo
Olhos cegos
Mãos dormentes
Um pobre coração batente.

11 comentários:

Byanka Arruda disse...

Acho que poucos blog's conseguem ser tão expressivos quanto o teu. :)
Muito bonito.

Sentimental ♥ disse...

ah, os pobres corações...

Franzé Oliveira disse...

Me abandonou
Entendo
Eu acho...

Pelos caminhos da vida. disse...

Como está tudo diferente por aqui, gostei, mas gostei muito tb da sua visita, estive ausente, mas pode puxar minha orelha, é que visito tantos amigos e sempre alguns ficam sem visita, quero ver se não fico mais tanto tempo sem voltar, mas vc mora no meu coração.

beijooo.

Liiร vαи dYkє! disse...

Vou entrar no seu escuro
e não sair mais
pra ficar lendo os poemas!
kkk
eu adorei seu blog
*****
:*

Por que você faz poema? disse...

A incerteza
me encanta.

meus instantes e momentos disse...

que bom voltar aqui.
cada vez mais bonito teu blog.
bom de ler, de ver , de escutar
gosto daqui
Maurizio

Lilian disse...

Olá querida Moni,

Lindo o poema que escreveu, minha pequena menina linda.

Você sabe qe gosto de comentar parafraseando os versos que leio, por isso é que sempre deixo versos para você, com uma redação pessoal minha relativa ao mesmo texto seu.
Desculpe-me se não gostar, diga-me que mudarei meu modo de me manifestar.

Não sabes o que pensas
Ou tem medo da resposta
Não sabes o que sentes
Ou pensas que tudo se enrosca

As palavras, o vento espalha
Mas no coração, ficam as marcas
Um amor que deixou fruto
Não se deixa soltar as amarras

O vento sopra o barco da vida
E restam saudades amargas
Não se pode iludir se é a brisa
Ou uma fria garoa
O que do coração escoa
Pois é sangue em gota fina
Que pinga dia a dia da ferida
Da dor do amor ausente
Por minha própria vontade ferina

Que Deus abençoe você minha garota e sua linda filhinha e que sejam felizes, aproveitem as oportunidades que surgem em suas vidas, não as deixem escoar pelos dedos das mãos, pois a vida foi dada por Deus para ser aproveitada e vivida com consciência e da melhor forma possível.

Beijo em seu coraçãozinho.
Carinhoso e fraterno abraço,
Vovó Lili (Lilian)

[ rod ] ® disse...

O coração que bate, pede um carinho... muitas vezes não atendido! um bj moça.

Dog disse...

lindo poema. E concordo, poucos blogs são tão expressivos quanto o teu.

ainda bem que o coração bate, ainda bem que o coração sente.

Sylvia Araujo disse...

Tem dias que chove dentro. Sei bem como é. Talvez seja uma boa solução colocar as galochas e dançar sobre as poças.

Obrigada pelo carinho da sua visita, Moni. Ainda estou sem computador, então sempre que tiver um tempinho venho te visitar, viu?

Lindo seu blog.

Uma beijoca